AGROFRATER

Relatório do USDA "confirma" sentimento de muita oferta de algodão e demanda "patinando"

As revisões do balanço mundial para 2023/24 apontam estoques iniciais e produção elevados, com comércio internacional e consumo reduzidos

Por Kariane Guerra em 14/06/2024 às 17:02:46

Foto: Pedro Silvestre/Canal Rural Mato Grosso

O Relatório do USDA divulgado nesta semana confirmou a percepção do mercado de que haverá "muito" algodão no mundo no próximo ciclo e que a demanda, que ainda segue patinando, tem mantido o mesmo em rota de baixa.

Em seu Boletim de Inteligência de Mercado, divulgado nessa sexta-feira (14), a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) destaca, também, que os contratos futuros da fibra encerraram novamente a semana em queda. Para julho de 2024 a retração foi de 5,4%, enquanto para dezembro de 2,5%.



Confira os destaques trazidos pelo Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa:

Algodão em NY – O contrato Jul/24 fechou nesta quinta 13/06 cotado a 71,35 U$c/lp (-5,4% na semana). O contrato Dez/24 fechou 71,79 U$c/lp (-2,5% na semana) e o Dez/25 a 73,39 U$c/lp (-1,3% na semana).

Basis Ásia – Basis médio do algodão brasileiro posto Leste da Ásia: 735 pts para embarque Out/Nov-24 (Middling 1-1/8? (31-3-36), fonte Cotlook 13/jun/24).

Baixistas 1 – As projeções do USDA para os EUA em 2024/25 mostram estoques iniciais e finais mais elevados em comparação com o mês passado.

Baixistas 2 – As revisões do balanço mundial para o ano 2023/24 incluem estoques iniciais e produção mais elevados, com comércio internacional e consumo reduzidos, e estoques finais maiores.

Baixistas 2 – O relatório também mostrou que o balanço revisado do algodão dos EUA para 2023/24 incluiu uma redução de 109 mil toneladas nas exportações, com base no ritmo lento dos embarques.

Altistas 1 – Não é necessariamente uma notícia altista para o mercado, mas é extremamente positiva para o Brasil: pela primeira vez, o Brasil será o maior exportador mundial de algodão no ano comercial 2023/24 (Ago-Jul).

Altistas 2 – O relatório do USDA destaca ainda que a China importará 3,2 milhões tons – um terço da importação mundial (9,4 milhões tons). É o maior volume em mais de uma década.

Altistas 3 – A exportação de têxteis e roupas pela China em maio gerou US$ 26,13 bilhões. É o 3º mês consecutivo de alta.

Safra 2024/25 – Para o ciclo 2024/25, a projeção do USDA é produção de 25,9 milhões tons e consumo de 25,4 milhões tons. Importação e exportação foram previstas em 9,7 milhões tons, com estoques finais de 18,1 milhões tons.

Altistas 1 – Não é necessariamente uma notícia altista para o mercado, mas é extremamente positiva para o Brasil: pela primeira vez, o Brasil será o maior exportador mundial de algodão no ano comercial 2023/24 (Ago-Jul).

Altistas 2 – O relatório do USDA destaca ainda que a China importará 3,2 milhões tons – um terço da importação mundial (9,4 milhões tons). É o maior volume em mais de uma década.

Altistas 3 – A exportação de têxteis e roupas pela China em maio gerou US$ 26,13 bilhões. É o 3º mês consecutivo de alta.

Safra 2024/25 – Para o ciclo 2024/25, a projeção do USDA é produção de 25,9 milhões tons e consumo de 25,4 milhões tons. Importação e exportação foram previstas em 9,7 milhões tons, com estoques finais de 18,1 milhões tons.



Vietnã – Em maio, o Vietnã importou 151,8 mil tons de algodão. É o terceiro mês consecutivo de alta nas compras. O Brasil forneceu 41% da pluma (61,9 mil tons). No ano, o total é de 1,2 milhão tons, com a Austrália respondendo por 32% do fornecimento.

Austrália – Em abril, a Austrália exportou 26,9 mil tons de algodão – menor volume mensal desde abr/22. No acumulado, foram embarcados cerca de 900,1 mil tons – 8,5% abaixo do mesmo período no ciclo 2022/23.

Brasil – Suzano – A Suzano adquiriu 15% da Lenzing – empresa austríaca que produz fibras têxteis a partir de celulose. Maior produtora mundial de celulose de eucalipto, a indústria brasileira entra firme no mercado têxtil global.

Brasil – Conab 1 – Nesta semana, a Conab atualizou a estimativa para a safra 2023/24. A área plantada foi projetada em 1,94 milhão de hectares – 16,9% maior que a realizada na safra anterior.

Brasil – Conab 2 – A previsão é de que o Brasil produza 3,66 milhões tons (15,2% acima do ciclo 2022/23). Com isso, a produtividade esperada é de 1.881 kg/ha (1,4% inferior à temporada passada).

Brasil – Exportações – O Brasil exportou 50,3 mil tons de algodão na primeira semana de jun/24. A média diária de embarque é 3,5 vezes maior em relação a jun/23.

Brasil – Colheita 2023/24 – Até ontem (13/06), foram colhidos no estado de SP 54%, MG 15%, MS 9,1%, BA 3%, PI 1,3% e PR 100%. Total Brasil: 1,34%.

Preços do Algodão – Consulte tabela abaixo:

Foto: Abrapa

Fonte: Canal Rural MT

Comunicar erro
WHATSAPP

Comentários