AGROFRATER

Produtores rurais exigem criação de lei para amparar a agricultura irrigada em MT

Estado possui capacidade para ampliar área irrigada dos atuais 205 mil hectares para cerca de quatro milhões de hectares

Por Kariane Guerra em 12/06/2024 às 14:24:12

Foto: Canal Rural Mato Grosso

Com potencial de ampliar a √°rea irrigada dos atuais 205 mil hectares para quatro milhões de hectares, o setor produtivo de Mato Grosso aguarda h√° quase uma década a aprovação da "Lei estadual da agricultura irrigada", que ir√° nortear – com segurança ambiental baseada em estudos cient√≠ficos – tal expansão no estado. A expectativa é que na próxima semana o governo do estado realize o encaminhamento do projeto para avaliação da Assembleia Legislativa (ALMT).

De acordo com o presidente da Associação dos Produtores de Feijão, Pulses e Colheitas Especiais e Irrigantes (Aprofir-MT), Hugo Garcia, o estado possui um cen√°rio promissor para a irrigação da produção agr√≠cola.

Além de possibilidade ganhos na produção da primeira e segunda safra, Hugo Garcia salienta que a irrigação garante ainda a realização de uma terceira safra com feijão, pulses em geral ou algum outro grão especial.

"E, visibilidade econômica. A segurança financeira e econômica que a irrigação traz. Além de tudo, ela aumenta a quantidade do que se produz na mesma √°rea. Uma √°rea irrigada para uma ação em √°rea de sequeira produz 30% mais de soja, de milho. Isso evita voc√™ ter que abrir mais √°reas para produzir", comenta o presidente da Aprofir-MT no programa Conexão FPA-MT desta semana.

Com uma demanda por alimentos aquecida no mundo, Mato Grosso é considerado o estado brasileiro com maior potencial para ampliar a produção, frisa Hugo Garcia.

"Nós temos feito um trabalho junto ao governo do estado, com a Assembleia Legislativa, para aprovar essa nova Lei de irrigação, que vai dar segurança ao produtor e para o estado para que possamos trabalhar".



Irrigação possui tr√™s obst√°culos

Hoje, segundo o presidente da Aprofir-MT, o setor produtivo enfrenta tr√™s obst√°culos quanto à ampliação da √°rea irrigada: autorização de outorgas e licenças ambientais, linhas de financiamento e energia.

"Temos munic√≠pios, como Sorriso e Primavera do Leste, que se algum produtor quiser irrigar não temos disponibilidade de energia. Isso nós temos que resolver urgentemente", destaca em entrevista ao Canal Rural Mato Grosso.

Na avaliação de Hugo Garcia, a Lei trar√° a garantia para que o agricultor fique na legalidade.

"Vai dar prazo para todos os agricultores que, talvez, estão trabalhando na irregularidade se regularizem, como ocorreu na época do CAR. Eu acredito que a Lei vem para trazer segurança tanto para o agricultor quanto para o estado. Mas, tem que sair [do papel]".




Estudos em parceria com universidades

Por cerca de um ano um projeto de Lei, de autoria do deputado estadual Carlos Avallone (PSDB), tramitou na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Segundo o parlamentar, que preside a Comissão de Meio Ambiente na casa de leis, perto da aprovação se viu que o mesmo teria mais sentido se viesse do Executivo.

Hoje, estudos são realizados através de parceria entre a Aprofir-MT, governo do estado, ALMT e as universidades de Nebraska (EUA) e Viçosa (MG).

Carlos Avallone pontua que os estudos são de suma importância, uma vez que h√° preocupação quanto aos aqu√≠feros, no qual se quer ter a segurança de que as √°guas subterrâneas estarão bem controladas.

"Então, retirei o projeto, entregamos ao governo do estado, que foi uma das partes na sua construção, e hoje estamos com um detalhe apenas e estamos tentando ver se o governador pode fazer o encaminhamento na data da visita de Nebraska e Viçosa aqui [17 a 19 de junho], para que possamos dar o andamento e ter uma pol√≠tica das √°guas subterrâneas, uma pol√≠tica da irrigação, que é fundamental para dar segurança h√≠drica para nós".

Fonte: Canal Rural MT

Comunicar erro
WHATSAPP

Coment√°rios