AGROFRATER

Em nova revisão do IMEA, algodão exibe ajuste positivo na área semeada

Em relação ao rendimento médio do algodão é projeto um recuo de 6,42% ante o registrado no ciclo 2022/23

Por Kariane Guerra em 04/06/2024 às 16:46:48

Foto: Jefferson Aleffe/Marca Comunicação

A √°rea destinada ao algodão 2023/24 em Mato Grosso foi elevada em 2,51% na variação mensal, confirmando assim recorde na extensão, uma vez que supera em 19,77% a da safra 2022/23 e os 1,177 milhão de hectares da 2021/22. É o que aponta o relatório de mercado do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecu√°ria (Imea).

O Instituto reforça que o aumento observado na √°rea "foi reflexo, principalmente, da menor rentabilidade do milho no ciclo, o que fez com que produtores que j√° possuíam estruturas necess√°rias para cultivar algodão, optassem por semear a cultura na segunda safra".



Ainda segundo o Imea, outro fator que contribuiu foi a redução no custo de produção, puxado sobretudo pelos macronutrientes.

No que tange a produtividade, a perspectiva para a safra é de 291,15 arrobas por hectare. Estabilidade na variação mensal, contudo projeção 6,42% menor em relação ao ciclo passado.

"Apesar da redução ante a safra 2022/23, o rendimento esperado ainda é o terceiro maior de toda a série histórica do Imea, reflexo das condições clim√°ticas que favoreceram o bom desenvolvimento do algodão na temporada".



O Instituto salienta que ainda h√° fatores incertos que "podem interferir no rendimento final do ciclo, como por exemplo os reais impactos das incid√™ncias de pragas e doenças nas lavouras".

Diante do ajuste na √°rea, é esperada uma produção de 6,29 milhões de toneladas de algodão em caroço, volume 12,08% superior ao do ciclo 2022/23.

Fonte: Canal Rural MT

Comunicar erro
WHATSAPP

Coment√°rios